Ação no Tocantins acusa médicos Nelson Horácio e João Ricci de terem cometido erro médico e cobrado valores particulares utilizando Hospital Público para realização de cirurgia.

Ação no Tocantins acusa médicos Nelson Horácio e João Ricci de terem cometido erro médico e cobrado valores particulares utilizando Hospital Público para realização de cirurgia.

Uma situação constrangedora e no mínimo grave envolvem os nomes dos médicos Nelson Horácio e João Ricci na justiça do Tocantins. Em ação protocolada na justiça no último dia 26, uma moradora da cidade de Tocantinópolis acusa Nelson e Dr. João Ricci de terem cometido erro médico e ter cobrado pelo procedimento cirúrgico dentro de um hospital conveniado pelo SUS.

Dr. Nelson participou da realização de uma cirurgia urológica em uma paciente no Hospital Municipal de Estreito na data de 30 de novembro de 2015. Tudo começou quando a paciente passou por consulta com Dr João Ricci, nesta oportunidade ele teria diagnosticado a necessidade de uma intervenção cirúrgica de bexiga, exigindo então que a paciente pagasse o valor de R$ 4.000,00 que seria repassado a Nelson Horácio para a realização do procedimento. Sendo assim a paciente levantou o dinheiro e PAGOU o valor combinado, segundo ela, o valor foi entregue em sua própria residência diretamente ao médico Dr. João Ricci.

Parte da ação na justiça do TocantinsA situação se complicou quando meses após a cirurgia a paciente teve sérios problemas de saúde, supostamente causados por um erro médico, o que impossibilitou a vitima de trabalhar e realizar suas atividades normais do cotidiano, a motivação seriam as fortes dores e o uso de fraudas por incontinência urinaria, consequência da perfuração da bexiga da paciente durante o procedimento cirúrgico, tudo alegado em uma ação protocolada junto ao poder judiciário.


Após apresentar fortes dores e diante da incontinência urinaria, a paciente sentiu-se constrangida quando segundo seu relato ao procurar os médicos em busca de esclarecimento foi informada que os sintomas eram "normais", mesmos assim ela insistiu e continuou sua luta em busca de respostas. Passado alguns dias paciente então recordou-se de um dialogo durante o procedimento cirúrgico ao qual o médico Nelson Horácio teria afirmado que sua bexiga teria sido perfurada. Diante disso ela buscou respostas e tentou por diversas vezes contato com os médicos para que eles esclarecessem o ocorrido, depois de varias tentativas o medico Nelson Horácio teria lhe dito que não tinha qualquer responsabilidade acerca do procedimento e que somente fez um favor ao seu colega Dr João Ricci.

Após isso a paciente continuo tomando remédios para amenizar as fortes dores e acabou tendo de fazer uso de medicamentos antidepressivos, além de passar pelo constrangimento de usar fraudas geriátricas, tudo segundo a ação pelo erro e falta de comprometimento dos médicos.

A ação foi protocolada na comarca de Tocantinópolis em face da urgência e necessidade da paciente em obter recursos financeiros para que ela possa efetuar o pagamamento de outro procedimento cirúrgico que corrigiu as consequenciais desta primeira cirurgia realizada por Nelson e Ricci. Segundo a paciente os poucos recursos que ela tem obtido vem através da ajuda de familiares e amigos que se comoveram com sua situação durante esses oito meses de sofrimento e humilhação. O valor pedido inicialmente vai pagar as despesas da cirurgia de Correção de Fístula, este supera segundo a ação o valor de R$ 13.000,00, junto a isso existe um pedido de indenização por danos morais e materiais que aproxima-se dos R$ 65.000,00.

Chamam atenção dois detalhes; o primeiro que a cirurgia foi realizada dentro de um hospital público, sendo que segundo a paciente o valor de R$ 4.000,000 foi pago, seja para Ricci ou Nelson que são médicos conveniados pelo SUS, o segundo ponto é a ausência de compromisso e atenção dos profissionais para com a paciente, segundo ela uma situação constrangedora e humilhante.

Rádios online