Com construção e entrega de novas unidades educacionais, Governo movimenta economia de várias regiões

Com construção e entrega de novas unidades educacionais, Governo movimenta economia de várias regiões

Com a construção e reforma de várias unidades de ensino na capital e no interior do Maranhão, o Governo do Estado tem garantido não somente a educação de qualidade aos maranhenses, mas também oportunidade de emprego. Durante a inauguração da unidade plena do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) de São José de Ribamar, na última quinta-feira (23), o governador Flávio Dino disse que o conjunto de 890 obras que está sendo feito no estado é o principal vetor de geração de emprego.

“Dezenas de construtoras já teriam fechado suas portas se não houvesse essas obras, mediante uma cesta de recursos próprios do tesouro estadual, governo Federal, BNDES, Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, que aprovamos nesta semana, para garantir a movimentação da economia”, disse o governador Flávio Dino. “E quando o menino ou menina obtém a formação profissional e sai com o certificado, que é respeitado no mercado, porque esse certificado do Iema vai ser tão respeitado no mercado como hoje é do Ifma, esse aluno tem portas abertas”, completou Flavio Dino.

O que o governo está fazendo, segundo explicou Flávio Dino, é complementado a rede de institutos federais com os institutos estaduais, para garantir que novas oportunidades sejam abertas a milhares de jovens. “Isso significa exatamente a condição para que haja investimento no Maranhão. Eu já recebi grupos privados estrangeiros que perguntam sobre terras, água, tributos, meio ambiente, mas perguntam também sobre recursos humanos, sobre educação. Porque uma grande empresa internacional ou mesmo nacional quando vai fazer um investimento necessita da mão de obra apta para dar sustentação ao negócio. Por isso o Iema é um projeto de desenvolvimento”, reforçou Flávio Dino.

Mais Oportunidade

O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, que coordena o projeto de implantação das unidades do Iema no Estado, citou o de São José de Ribamar como um exemplo concreto de abertura de novos empregos e movimentação do comércio local. “Aqui temos os empregos gerados no âmbito do refeitório, porque a comida é comprada dos produtores locais, temos as merendeiras, o pessoal da enfermaria, bibliotecárias, administrativo, isso gera emprego. Há ainda o pessoal da vigilância, da limpeza. Todos esses empregos ficam em Ribamar, são pessoas daqui que estão trabalhando, além dos professores da base técnica que são contratados a partir de cada curso, isso gera um movimento na economia local”, observou o secretário.

Soma-se se a isso o pagamento de água, luz, o transporte escolar dos alunos. “Isso tudo nos leva também a identificar o Iema como um investimento importante na economia dos municípios”, acrescentou o secretário, lembrando que a meta do governo é entregar até 2018 um total de 23 unidades em diferentes regiões do Maranhão. Com a inauguração do Iema de Timon, em março serão sete unidades em funcionamento – São Luís, São José de Ribamar, Bacabeira, Pindaré-Mirim, Axixá e Coroatá.

O modelo adotado nas unidades do Iema é inovador por integrar o ensino técnico-profissionalizante ao ensino médio em uma escola de tempo integral. Todo o processo de construção e definição dos cursos levou em consideração dois elementos básicos: o arranjo produtivo local e a manifestação da população através de audiências públicas realizadas pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). “Os cursos são flexíveis. A cada ciclo de três anos passamos por um processo de revisão, analisamos quais são os novos nichos do mercado que demandam profissionais qualificados e reorganizamos a oferta de cursos”, contou o secretário Jhonatan Almada.

Educação como Prioridade

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, elogiou o governo por ter elegido a educação como prioridade. “Em um momento de crise, ao invés de ficar de braços cruzados, como muita gente está esperando a crise passar, o Governo do Estado arregaçou as mangas e está enfrentando a crise, como exemplo de gestão pública honesta, correta, que aplica corretamente os recursos públicos, mas também de uma gestão eficiente, que leva as políticas públicas até o cidadão”, disse o prefeito.

Até o final do ano, segundo informou Clayton Noleto, serão centenas de unidades de ensino reformadas, reconstruídas e construídas pelo governo em um esforço concreto do governador Flávio Dino no sentido de melhorar os indicadores da qualidade da educação do Maranhão. “São muitas obras, nós vamos alcançar, 23 unidades até 2018, sendo18 Núcleos de Ensino Integral. Nós temos, por exemplo, 200 unidades da Escola Digna no ensino fundamental para entregar até o final deste ano, são escolas que substituirão as escolas de taipa, de barro, cobertas de palha”, informou o secretário.

As obras do governo contemplam desde o ensino fundamental, passando pelo ensino médio, técnico profissionalizante chegando até o ensino superior. “Estamos com um investimento de mais de R$ 3 milhões na Universidade Estadual do Maranhão (Uema) para qualificação das vias internas. Além disso, teremos a construção do prédio da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (Uemasul). Não se pode pensar em um Maranhão desenvolvido econômico e socialmente sem uma educação de qualidade”, finalizou Noleto.

FONTE: GOVERNO DO MARANHÃO

Rádios online