Governador e bancada federal do Tocantins se reúnem com ministro dos Transportes

Governador e bancada federal do Tocantins se reúnem com ministro dos Transportes

O governador Marcelo Miranda e os parlamentares da bancada federal do Tocantins se reuniram com o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, a fim de pedir agilidade para as obras de infraestrutura prioritárias para o Estado. A reunião ocorreu na sede do Ministério, na tarde dessa terça-feira, 14, em Brasília (DF).

O grupo recebeu, do ministro, garantia de que a obra da ponte sobre o Rio Araguaia, no município de Xambioá, terá início ainda neste semestre e que não faltarão recursos para a execução total do projeto. A verba para a obra, com custo de aproximadamente R$ 130 milhões, está garantida por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Rodovias

Sobre a duplicação da Rodovia BR-153, no trecho que liga Aliança do Tocantins à Anápolis, em Goiás, o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Sérgio Lobo, informou que está sendo finalizado um processo que decreta a caducidade da concessão da obra para a Galvão Engenharia.

Dessa forma, a ANTT tem condições de realizar outra licitação para a continuidade do projeto. Mediante a necessidade de novo processo, o governador e a bancada reforçam um pedido, que já foi formalizado, para que haja a extensão da concessão ao longo de todo o trecho da Belém-Brasília que corta o Tocantins, isto é, do município de Talismã até a divisa com o Estado do Maranhão.

Ainda nas demandas referentes às rodovias, o ministro garantiu o fluxo financeiro para a continuidade das obras da Rodovia BR-242 no trecho Peixe – Paranã – Taguatinga e a liberação dos recursos para a recuperação e manutenção da BR-010, no trecho que liga Goiatins a Aparecida do Rio Negro.

A inclusão no PAC das obras de implantação da BR-235, no trecho que liga Pedro Afonso à divisa do Tocantins com o Maranhão, também foi um dos compromissos firmados no encontro, pelo diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), Valter Casimiro Silveira.

Pedral de Lourenço

Sobre o derrocamento do Pedral de Lourenço, o Dnit informou que o projeto segue dentro do cronograma. A obra foi contratada no ano passado, os estudos serão concluídos em um prazo de um ano e meio e serão necessários mais três anos para a execução do projeto. O derrocamento do Pedral de Lourenço é uma etapa fundamental para a viabilização da Hidrovia Araguaia-Tocantins.

Travessia da Ilha do Bananal

Também entrou em pauta o projeto que prevê a extensão da BR-242 por toda a Ilha do Bananal. O grupo acordou uma reunião conjunta entre os parlamentares federais do Tocantins, Mato Grosso e Fundação Nacional do Índio para discutir a viabilidade de realização de estudos em reservas indígenas.

Demandas dos municípios

Com a presença do prefeito de Gurupi, Laurez Moreira, o grupo discutiu demandas específicas daquele município. Foi solicitado o estudo de viabilidade para a execução da alça viária do município, ligando a BR-153 à Plataforma Multimodal da Ferrovia Norte e Sul, a fim de retirar a circulação de veículos de carga do centro de Gurupi.

O prefeito de Paraíso, Moisés Avelino, também presente na reunião, solicitou a aprovação do projeto que prevê a travessia urbana da cidade de Paraíso. No momento, a proposta encontra-se em análise pelo Dnit.

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, apresentou proposta para avaliação da possibilidade de federalização da Rodovia TO-222, no trecho de Santa Fé do Araguaia a Filadélfia. O Ministério dos Transportes determinou a análise da viabilidade da proposta.

Participaram

Do Tocantins, estavam presentes o governador Marcelo Miranda, acompanhado pelo chefe do Escritório de Representação em Brasília, Renato de Assunção; o senador Vicentinho Alves (PR); os deputados federais, Josi Nunes (PMDB), Vicentinho Junior (PR), Carlos Gaguim e Lázaro Botelho (PP); e os prefeitos Laurez Moreira, de Gurupi; Moisés Avelino, de Paraíso; e Ronaldo Dimas, de Araguaína. O grupo foi recebido pelo ministro dos Transportes Maurício Quintela; pelo diretor-geral do Dnit, Valter Casimiro Silveira; e pelo diretor da ANTT, Sérgio Lobo, além de técnicos do Ministério dos Transportes.

Rádios online