O colapso de uma Administração e uma campanha sem identidade faz duas mulheres lutarem por Aguiarnópolis-TO

O colapso de uma Administração e uma campanha sem identidade faz duas mulheres lutarem por Aguiarnópolis-TO

 

O município de Aguiar-nópolis, assim como os mais de 5 mil municípios brasileiros, começou a traçar o seu destino para os próximos 4 anos. No último dia 16 foi aberta a temporada de caça aos eleitores e dois nomes estão na disputa pela prefeitura do município, o atual prefeito Ivan Paz tenta a reeleição contra a ex-vice-prefeita Gildete Cabral. Ivan Paz traz como candidato a vice-prefeito o vereador Wanderly Leite; Gildete se uniu a Nazaré Monteiro.

A briga no município ficou entre homens vs mulheres, mas vai muito além disso. Trata-se de escolher entre a certeza  da continuidade da prática administrativa ineficiente, insuficiente, incompetente e de promessas não cumpridas; ou apostar em algo novo.

O atual prefeito foi eleito com uma missão muito clara, missão essa que ele mesmo se colocou fazendo promessas de mudanças, criticando ferozmente a administra ção anterior. Suas críticas baseavam-se basicamente em nepotismo, mau uso do dinheiro público; entre outras que nunca foram comprovadas. Hoje, Ivan pratica o que tanto criticou em seus adversários; emprega familiares sem concurso público nos mais diversos níveis da administração.

Entre os principais nomes estão a Secretária de Administração Hellen Regina Lima, cunhada do prefeito Ivan Paz. O prefeito também empregou sua prima, Fátima Araújo, que assumiu a secretaria de Assistência Social; a Secretária de Saúde do município também faz parte da família do prefeito Ivan; Cristiane Barros é casada com um primo do prefeito. Ainda são contratados pela prefeitura a Coordenadora Edilamar Araújo (Prima de Ivan Paz); e seu filho, o motorista Gleydson Tomaz; na contabilidade da prefeitura encontramos a jovem Ana Claudia; Kenia Menezes também é coordenadora e prima do gestor municipal; a Primeira Dama Alline, assumiu a secretaria de Cultura.

Outro problema na administração de Ivan, são os vários processos a que ele responde enquanto gestor municipal; inclusive uma Ação Civil de Improbidade Administrativa movida pelo Ministério Público do Estado do Tocantins contra o prefeito Ivan e a Secretária de Educação do município, Iara Gomes Bezerra.

Ao analisar os três anos e meio da administração Ivan Paz em Aguiarnópolis, pode-se concluir que foi um fracasso histórico. Basta um olhar (que nem precisa ser tão crítico assim), para ver que Aguiar-nópolis encontra-se em estado de literal abandono; são escolas, postos de saúde e até mesmo ginásio que foram esquecidos pelo gestor e hoje encontram-se em total destruição e quem perder é a população.

A situação é grave; a saúde está em caos; o posto de saúde que funciona sofre com a falta de profissionais e principalmente de medicamentos. Os aguiarnopolinos que precisam de atendimento médico, por mais simples que seja, precisam se deslocar para o município vizinho de Estreito-MA.

A infraestrutura não fica atrás, ruas esburacadas e sem sinalização. Falta de iluminação pública, o que ajuda no aumento da violência no município que até pouco tempo era conhecido por sua tranquilidade e hoje vê o rápido aumento do índice de criminalidade.

Como se não bastasse, o município vive climas de Ditadura; não são poucas as notícias de agressões verbais e até físicas de aliados do prefeito contra os adversários; isso enfraquece a campanha de Ivan que já está sendo muito cobrado e vê suas chances escorrendo entre os dedos.

Ivan não fez o dever de casa, se perdeu em meio à falta de compromisso e agora tenta se recuperar utilizando da velha prática política praticada no Brasil, o clientelismo. Mas ao que tudo indica é tarde; Ivan demorou reagir e a marca negativa de sua gestão já criou raízes e a população demonstra uma vontade de seguir em frente, principalmente porque a voz popular afirma que Aguiarnópolis nunca esteve em situação tão dramática.

Já a aposição aposta em Gildete Cabral e sua aliada Nazaré Monteiro. As duas mulheres tem uma biografia conhecida e respeitada no município. Com histórico político, funcionárias públicas, ambas tem contato com o povo e por isso foram as escolhidas para a disputa.

Dete foi vice-prefeita de Aguiarnópolis, após sua saída da vida política, continuou na vida pública. Tem um relacionamento íntimo com o povo e nunca se afastou. Convidada pelo grupo a se candidatar, Dete aceitou o desafio e mostrou esta preparada; a candidata ao contrário que muitos esperavam, mostra ter pulso e capacidade de liderar, hoje ela é a frente do grupo e suas ideias e propostas são muito bem aceitas; além disso leva sua campanha com uma postura de ouvir as reivindicações populares. Isso vem agradando e conquistando adeptos e admiradores de uma política diferenciada, moderna e participativa.

Rádios online