Operação da PF prende ex-governador Sandoval Cardoso

Operação da PF prende ex-governador Sandoval Cardoso

O também ex-governador Siqueira Campos foi conduzido coercitivamente.

A operação Ápia, da Polícia Federal que investiga fraude em licitações que podem chegar a R$ 1,2 bilhão prendeu nesta quinta-feira (13) o ex-governador do Estado do Tocantins, Saldoval Cardoso. O também ex-governador Siqueira Campos também foi alvo da operação e foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento.

A operação Ápia cumpre 113 mandados judiciais em seis Estados e é realizada em conjunto com o Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União. Tem como objetivo desarticular organização que segundo a PF fraudava licitações públicas e a execução de contratos administrativos para terraplanagem e pavimentação asfáltica em rodovias estaduais.

Ainda estão envolvidos no caso a secretaria de infraestrutura do Tocantins, as empresas Vídeo BG e Barra Grande Construtora.

São cerca de 350 policiais participando da Ápia, são 19 mandados de prisão temporária, 48 de condução coercitiva e 46 de busca e apreensão no Tocantins, Maranhão, Goiás, Belo Horizonte, São Paulo, Brasília e Cocalinho (MT).

No Tocantins, a operação é realizada em Araguaína, Gurupi, Goiatins, Formoso do Araguaia,Riachinho e Palmas. Em Goiás, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis. No Maranhão, em São Luís, Governador Nunes Freire e Caxias.

De acordo com a Polícia Federal, o esquema fraudava as licitações direcionando concorrências e envolvia órgãos públicos de infraestrutura entre os anos de 2013 e 2014. Segundo as investigações, as obras foram custeadas pelo Estado através de recursos públicos adquiridos no BNDES, sendo o Banco do Brasil uma espécie de intermediário e a União seria a garantidora da dívida; os valores chegam a R$ 1,2 bilhão.  Segundo ainda a Polícia, o prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 200 milhões.

Para a Polícia, os ex-governadores Siqueira Campos e Sandoval Cardoso (2011-2014) tiveram participação direta em contrato de financiamento com o Banco do Brasil e o dinheiro teria sido usado entre outras coisas para financiar campanhas eleitorais.

Siqueira Campos renunciou ao governo junto com seu vice, João Oliveira às vésperas das eleições de 2014; com isso, Sandoval Cardoso, então presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins assumiu a função.

Para o Ministério Público Federal, Siqueira Campos arquitetou projeto para manter seu grupo político no poder e eleger Eduardo Siqueira Campos como deputado Estadual. Eduardo seria ainda beneficiário de doações eleitorais das empresas investigadas.

Rádios online